temperamentos



Desde os tempos da Grécia Antiga (ou antes!) já se tinha a noção de que a atitude de alguém perante o mundo depende do seu temperamento - um filtro que organiza a percepção e as realizações de cada um . A antroposofia atualizou esse conhecimento e sua importância na saúde das crianças (e adultos).
Perante um mesmo evento - por exemplo um gato que subiu na árvore e não consegue descer - respondemos de forma diversa. Uma criança melancólica ficará lamentando o fato, triste com o destino do gato. Uma criança com o temperamento sanguíneo ficará afoita e feliz por o gato ter conseguido escapar do cachorro. Uma criança colérica iniciará imediatamente um plano para retirar o gato lá de cima. E uma criança com o temperamento fleumático ficará horas em baixo da árvore esperando o gato descer.

Melancólico é aquela pessoa que tem um universo interno muito rico e fica as vezes muito introspectivo. Um excesso seria a tristeza extrema.
O sanguíneo tem muito interesse no mundo, é ligado com tudo e as vezes realiza pouco. No caso extremo não consegue parar quieto.
O indivíduo colérico tem bastante força de realização e faz ; mesmo que as vezes passe por cima dos outros.-Pode ter ataques de cólera!
O indivíduo fleumático é o bonachudo. Tudo está bom, tranquilo. Gosta de comer e dormir, e é um ótimo anfitrião.
As crianças pequenas não tem ainda um temperamento próprio definido. Elas imitam o temperamento dos pais. Só após 6 ou 7 anos que aparece a definição do temperamento próprio.
É bom entender que o temperamento nos faz olhar o mundo de uma maneia particular, que não é necessariamente igual para a ou as pessoas que estão do nosso lado. É sempre importante tentarmos nos colocar no lugar do outro e tentarmos olhar o mundo sob sua ótica.


Um comentário:

Winck disse...

Constatei em meus 2 filhos outra coisa: eles já nasceram com a sua sequência de temepramentos bem definida, um colérico e o outro sanguíneo. Eu e minha esposa somos coléricos e nos espantamos como nossos filhos são bem diferentes um do outro. Um detalhe, todos temos os 4 temperamentos, o que muda é a sequência, sendo que o primeiro é determinante. Há 24 sequências possíveis de temperamentos e a intensidade também varia muito. Pode-se notar as diferenças no olhar, no sorriso, no aperto de mão e no andar. É uma loteria genética que ocorre no momento da fecundação.